quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Uma nova história....



É meio estranho, para não dizer confuso, o período em que me encontro. Sempre disse em alto e bom som que não me via em sala de aula (como professora) apesar de está cursando uma licenciatura (Letras), não rolava química entende, não tinha liga, e desde o 1º semestre eu temia os estágios. Muitos amigos e professores escutaram eu falar "Posso falar para um auditório lotado que vou de "boa", mas não me coloca em uma sala de aula que simplesmente travo" e a coisa piorou depois que meus colegas de turma começaram a lecionar em colégios, pois eles falavam da realidade escolar, da falta de respeito, interesse e algumas vezes violência....aquilo tudo me deixava em pânico e com a certeza que eu e sala de aula não misturávamos....
Eis que começaram os temidos estágios... Primeiro com a turma do Ensino Fundamental II 9º ano (8ª série), mas foi ate certo ponto legal pois foi em grupo e apenas oficinas (mesmo que muitas vezes sentíamos vontade de jogar tudo para o alto) concluímos.... mas ainda não era "O" estágio... E ele chegou.... regência, sala de aula do Ensino Regular (Médio)...conteúdos...Unidade inteira...e não tinha grupo....era eu e eu...Período de observação...Coparticipação....e o coração parecia que ia sair pela boca (apesar da minha aparente calma e tranquilidade)... e aqueles questionamentos martelando aqui dentro:"Será que vai dar certo?", "Terei controle de turma?", " A turma “vai” com minha cara?", "conseguirei ter a atenção deles?", "Saberei passar os conteúdo?".... e essa sensação angustiava pois era algo que não podia controlar...
E agora estou eu na regência responsável pela turma do 2º Ano e como me vejo? Ironicamente falando: APAIXONADA pela turma, não há outra forma de descrever o que sinto. Pareço àquelas mães que ao encontrarem um conhecido despeja barris de elogios à sua cria, quem me conhece e está tendo contato comigo sabe do que estou falando...elogio sim, pois eles são maravilhosos, uma turma ótima, participativa, educada, responsável e que realmente está comprometida em aprender e exige de nós o saber! Não tive nem estou tendo nenhum problema com eles, pelo contrário, temos uma boa relação. Tive medo de encontrar esse lado da educação brasileira tão falada, tive medo de como seria essa turma, tive medo das suas irresponsabilidades, falta de interesse e respeito....e eles me mostraram um lado que eu não imaginei encontrar....me mostraram o lado bom e prazeroso de ser professor mesmo com todos os problemas diários....me mostraram que não pensaria neles apenas nos horários de aula, mas sim durante o meu dia....me mostraram como é bom está ali mesmo não sendo a minha turma, mesmo estando perto o fim do estágio...eles me mostraram que ser professor não é tão ruim...que ser professor é ser realmente como pais que ficam com um sorriso bobo no rosto ao falar dos seus filhos e que se alegra com as pequenas coisas até mesmo com um olhar dizendo "obrigada".
Acho que  precisei disso pois o terreno estava muito árido e eles vieram para adubar e fertilizar afim de nascerem frutos... E quando eu notei que algo estava "errado"? Quando com mil coisas da faculdade pra fazer eu apenas pensava em uma forma de fazer uma aula legal para as próximas aulas e não porque tenha que ministrar a aula, não por causa de uma mera obrigação, mas porque eu queria, porque me sinta bem e porque senti "borboletas" no estômago e um sorriso apareceu ao pensar na turma. Foi um período muito bom, pelo menos para mim, onde eu pude trocar experiências, conhecimentos, criar laços, onde eu pude perceber que sim, dar para ser professor e ser amigo sem perder o respeito dos alunos. Aprendi que não é batendo de frente que temos o respeito e a confiança, mas abrindo espaços, construindo pontes. Sentirei sim, saudades dessa turma, desses alunos que com a história de vida individual fizeram parte e marcaram a minha vida, sentirei saudades daquelas pessoas que por um tempo alegraram as minhas manhãs, que me fazia sorrir com suas frases “Ah pró, ainda é cedo” e que conquistou o meu carinho, a minha admiração e o meu respeito.
Foi prazeroso todos os dias que passei como regente mesmo nos dias em que exigia com mais afinco a atenção deles, em que cobrava as atividades, em que pedia silêncio, mas tenho certeza que não teria uma turma melhor, sabia que era a Tuma perfeita para mim. Chegamos ao fim do nosso período juntos, espero ter deixado com cada um de vocês um pouco de algo bom, desejo ter despertado em vocês a busca pelo saber mais, ter ensinado algo que ultrapasse os limites do conhecimento didático. Agradeço a atenção, o carinho, o respeito e o interesse de cada um e desejo do fundo do meu coração que vocês nunca percam essa vontade de aprender, essa busca pelo conhecimento e principalmente, não percam esse respeito e atenção tão difíceis nas salas de aula. E tenho certeza que em um futuro não muito distante terei noticias boas! Fico por aqui, deixando um pouco de mim e levando um monte de vocês, que aqueles sorrisos tão verdadeiros, sinceros e ao mesmo tempo tão ingênuos os acompanhem em todos os momentos! Até breve turma, até um dia, até logo.