segunda-feira, 24 de junho de 2013

Das certezas que temos

Das certezas da vida o que realmente sabemos? Em que ou em quem acreditamos de verdade? O que é real e o que é projeção dos nossos desejos? Dos desejos e sonhos mais secretos?

Temos essa ideia chata de querer entender tudo, de querer ter a certeza de tudo e o controle da situação e de todas aquelas coisas que estão ao nosso redor. Tenho medo disso, na verdade acho as pessoas que “sabem” de tudo chatas demais, cricri demais, quadradas demais.

Não ter certeza é viver uma aventura, é uma surpresa a cada dia é não criar expectativa de nada, principalmente em relação às pessoas. Quer uma receita para não se machucar? E não sair por aí pelos cantos em lamúrias? Não crie expectativas! As pessoas são do jeito que são não da forma que gostaríamos que elas fossem, põe isso de uma vez na cabeça e evite sofrimentos desnecessários. Criar expectativas meu caro, é ter a doce ilusão da certeza de algo, mas lembre-se o ser humano é imprevisível.... E cá entre nós, qual a graça de ser previsível,hein? De ter as mesmas perguntas e as mesmas repostas. Não espere demais, a vida tem seu curso natural e as pessoas, assim como você, não precisam atender as suas expectativas! E já falamos sobre isso não é mesmo?

Vamos voltar as certezas, ou melhor, as incertezas.... A pessoa que pensa (sim, ela pensa que tem o controle das coisas) ter a certeza de tudo vive em uma arrogância insuportável, em uma mania idiota de mostrar a todos que é o dono da verdade, é prepotente, frio, sem vida, sem calor. Vive em seu mundinho lindo de “verdades” que apenas ela conhece e se fecha para as possibilidades.

Que um exemplo que as suas certezas podem mudar? Lembra-se daquele amor que você jurava ser para a vida toda? Quantos desses você teve? E terão outros. Lembra-se daquele dia que você falou que nunca mais iria se apaixonar? E essa cara de paixão aí é o que? Lembra que aquele era emprego dos seus sonhos? E hoje você sente o alivio de ter deixado para trás. Lembra quando você disse que jamais e em hipótese alguma iria ter uma determinada atitude? O que sentiu quando não pensou duas vezes em fazê-la? Esta vendo? As suas certezas não são para sempre.... ainda bem!

Porque essa necessidade de querer controlar tudo e saber tudo? Não sabemos de nada e essa é a grande “sacada”, será que você consegue me entender? Consegue acompanhar o meu raciocínio? Não sabemos de nada e nenhuma verdade é absoluta, todos os dias as coisas em que acreditamos são colocadas à prova. E eu me pergunto: Porque então querer ter o controle de tudo?. Permita-se viver o novo. Permita-se viver os momentos sem questionar os “porquês”. Simplesmente viva. Simplesmente sinta.

Não pense demais, não questione demais os seus sentimentos os viva em sua totalidade e arrependa-se apenas das coisas que você não fez, o que está feito não tem jeito serve de experiência, seja ela boa ou não. Não queira ser o dono da verdade, isso deixa a pessoa chata, sem graça, sem cor... Permita-se as vezes sentir-se “perdido”, não queira ter certeza de tudo e sabe porque? Elas não existem. O que hoje é real e concreto amanha pode ser apenas uma lembrança perdida em algum lugar. E qual a certeza que temos? A única? É que estamos aqui hoje e agora. E quanto ao amanha? Bom, isso é uma incerteza. Ainda bem!